O que é segurança na nuvem?

A segurança na nuvem não é uma coisa só—é todo um ecossistema de administradores de TI, processos e políticas de nuvem e soluções de segurança que protegem os dados e aplicações que ficam na nuvem. Essas medidas são implementadas não apenas para proteger os dados, mas também apoiar o compliance regulatório, garantir a privacidade dos clientes e definir regras de autenticação, entre outros. 

Assim, a segurança na nuvem é totalmente customizável, para atender às necessidades específicas de uma empresa. Além disso, suas regras de configuração e autenticação podem ser alteradas e gerenciadas a partir de um único local, portanto, se uma empresa tem uma estratégia de proteção confiável, não precisa gastar tempo precioso gerenciando seu ambiente de nuvem.

Como os dados confidenciais do cliente e da empresa são armazenados na nuvem—e porque cada vez mais organizações estão migrando para ela—a utilização de uma estratégia de segurança na nuvem tornou-se obrigatória. Ao longo dos anos, os criminosos de segurança evoluíram, lançando mão de ataques mais sofisticados e mais difíceis de detectar. A nuvem escolhida não faz diferença, os criminosos estão preparados para violar até mesmo as nuvens das maiores empresas. 

O que é segurança na nuvem?

Que riscos de segurança as empresas enfrentam?

Sem uma estratégia adequada de segurança na nuvem, é mais provável que as empresas tenham sérios problemas de segurança em sua arquitetura de computação em nuvem. Os itens abaixo representam algumas das ameaças e os riscos de segurança mais comuns que as empresas podem encontrar. 

  1. Perda de dados confidenciais: muitos dos dados armazenados na nuvem são confidenciais, privados ou incluem propriedade intelectual. Se o serviço de nuvem de uma empresa for violado, os invasores podem obter acesso a esses dados facilmente. Mas, mesmo sem que haja um ataque, determinados serviços podem representar risco, caso seus termos e condições reivindiquem a propriedade dos dados carregados.
  2. Perda de controle do usuário final: sem visibilidade e controle adequados, os usuários finais de uma empresa podem, sem saber, ou mesmo intencionalmente, colocar a organização em risco. Um exemplo: um vendedor que está prestes a se demitir da empresa decide baixar um relatório de seus contatos de clientes e fazer upload desses dados para um serviço de armazenamento pessoal em nuvem. Quando ele for contratado por uma empresa concorrente, pode se aproveitar desses dados.
  3. Malware: os serviços de nuvem são alvos prioritários de exfiltração de dados, o processo pelo qual um invasor cibernético realiza uma transferência de dados não autorizada de seu computador. E, infelizmente, esses criminosos criaram novos métodos de exfiltração de dados, mais difíceis de detectar, incluindo métodos abertos e ocultos.
  4. Violações contratuais: quando as partes comerciais assinam um contrato, isso geralmente restringe a forma como os dados serão usados e quem terá acesso a eles. Se um funcionário mover dados restritos para a nuvem sem autorização, pode configurar violação de contrato, levando a possíveis retaliações legais.
  5. Reputação prejudicada entre os clientes: quando dados são violados, é inevitável que os clientes percam a confiança na sua empresa. E sem um nível de confiança adequado, você pode enfrentar quedas de receita. Infelizmente, uma das violações de dados de cartão mais emblemáticas ocorreu com a Target. Quando criminosos cibernéticos roubaram mais de 40 milhões de cartões de crédito e débito, um dos resultados foi a perda de confiança. Quando isso acontece, uma consequência comum é um fenômeno chamado "customer churn", em que os clientes decidem levar seus negócios para outra empresa—mesmo que tenham demonstrado satisfação e lealdade antes da violação.
  6. Perda de receita: em última análise, essa é uma das sequelas mais prejudiciais que uma empresa pode e irá enfrentar após uma violação de dados. Quando os clientes perdem a confiança na capacidade da empresa de proteger informações financeiras confidenciais, eles deixam de ser leais a ela, levando a enormes prejuízos. Isso para não falar no custo médio de uma violação de dados, que é de cerca de US $ 4 milhões, um valor que muitas organizações simplesmente não têm como pagar.

Por que as empresas precisam de segurança na nuvem?

Todos os modelos de nuvem são suscetíveis a ameaças, até as arquiteturas locais, tradicionalmente conhecidas por serem altamente controláveis, gerenciáveis e seguras. Infelizmente, à medida que os criminosos cibernéticos refinam e fortalecem seus ataques, as empresas devem estabelecer uma estratégia de segurança na nuvem robusta e infalível, para se proteger contra roubos, vazamentos, corrupção e exclusão de dados.

No passado, a proteção tradicional da TI, feita por seres humanos, era suficiente para defender as empresas de violações de segurança. Hoje, quase ninguém tem tempo ou verba para gastar com uma equipe que precisa estar disponível 24 horas por dia, e é inevitável que o tédio inerente a esse tipo de função leve a lapsos e brechas nos protocolos de segurança. A segurança na nuvem elimina essas preocupações, oferecendo a funcionalidade da segurança de TI tradicional e permitindo que as empresas aproveitem o poder da computação em nuvem, tudo de forma segura e com a garantia de que seus requisitos de privacidade e compliance serão atendidos.

Os benefícios da segurança na nuvem

À medida que mais empresas recorrem à nuvem, garantir que medidas de segurança estejam em vigor se torna inegociável. Como as consequências de uma violação de segurança são altas, a importância de um plano de segurança na nuvem confiável é gigantesca. Há vários motivos pelos quais uma organização deve optar por ter segurança na nuvem:

Segurança centralizada

Segurança centralizada

Assim como a nuvem pode centralizar todas as suas aplicações e dados, a segurança na nuvem pode centralizar todas as suas forças de proteção. As redes baseadas em nuvem contêm vários dispositivos e endpoints, que aprimoram a análise e a filtragem do tráfego. As empresas se envolvem menos com o processo de monitoramento, com serviços automatizados de segurança na nuvem analisando possíveis ameaças, sem requerer intervenção humana. Além disso, como todas as políticas de proteção são gerenciadas em um só lugar, os planos de recuperação de desastres também podem ser implementados e acionados com facilidade.

Custos reduzidos

Custos reduzidos

Ao usar uma solução de armazenamento e segurança baseada em nuvem, as empresas podem cortar—e até eliminar completamente—a quantidade de hardware dedicado que usam. Isso pode reduzir as despesas de capital e o volume de sobrecargas administrativas. A segurança na nuvem permite que as equipes de TI se concentrem em projetos de valor mais alto, em vez de monitorar a segurança em tempo integral.

Administração reduzida

Administração reduzida

Uma das muitas vantagens da segurança na nuvem é a capacidade de eliminar configurações manuais e atualizações frequentes de segurança. Em um ambiente tradicional, essas tarefas são demoradas e podem estressar as equipes de uma empresa. Ao migrar para a computação em nuvem, toda a administração de segurança acontece em um só lugar e é totalmente gerenciada sem precisar de supervisão.

Confiabilidade

Confiabilidade

O monitoramento de nuvem feito totalmente por pessoas consegue detectar a maior parte das ameaças, mas a segurança na nuvem elimina qualquer chance de erro humano. Ao entregar confiabilidade máxima, as medidas certas de segurança na nuvem garantem que os usuários acessem dados e aplicações na nuvem de maneira protegida, não importa onde estejam e que dispositivo utilizem.

Segurança na nuvem e a multicloud

Embora seja benéfica para qualquer modelo de nuvem, privado ou público, a segurança na nuvem é especialmente positiva em ambientes multicloud. De acordo com a GigaOm, 92% das empresas já migraram para uma estratégia híbrida ou multicloud, graças à sua natureza flexível e dimensionável.

Embora um ambiente multicloud não seja, por padrão, mais complexo que outro sistema operacional em nuvem, ele exige uma quantidade razoável de controle e visibilidade por meio de um “painel único”, para garantir que seja executado sem falhas de implementação. 

Segurança na nuvem e a multicloud

No entanto, a manutenção da visibilidade total de um ambiente multicloud pode ser complexa, frequentemente levando muitas empresas a optar por especialistas dedicados à nuvem. E, conforme a complexidade aumenta, o mesmo ocorre com os custos associados à manutenção do ambiente.

Essa falta de visibilidade pode fazer com que riscos de segurança não verificados passem para a multicloud. Mesmo com a presença de especialistas, erros humanos e ataques cibernéticos cada vez mais sofisticados tornam impossível garantir a segurança ininterrupta. A implementação de um processo automatizado de segurança na nuvem é fundamental para garantir a proteção do seu sistema multicloud, ao mesmo tempo em que minimiza a pressão e os custos associados a manter uma equipe dedicada de especialistas. 

Recursos relacionados

Alt

As 10 principais tendências de segurança na nuvem de 2019

Alt

Proteja seus dados que estão na nuvem de ex-funcionários vingativos

Alt

Segurança na multicloud para inciantes: edição especial da Nutanix

Alt

A importância da segurança e do compliance de nuvem para a sua empresa

Alt

Quais são os riscos de segurança da computação multicloud?

Como a automação melhora o compliance e a segurança da multicloud

Visibilidade é essencial para a segurança na nuvem e o controle dos custos

Saiba mais sobre segurança na nuvem

Vamos começar!

Agende uma demonstração personalizada com um consultor de soluções e veja como o Nutanix Enterprise Cloud pode transformar seu negócio.